O ouvido

O ouvido humano tem a função básica de captar os sons e leva-los ao cérebro para que possamos entender o que está sendo ouvido e responder aos diferentes estímulos sonoros do meio ambiente. O ouvido, ou orelha, pode ser dividido em orelha externa, média e interna. A orelha externa está dividida da orelha média pela membrana do tímpano. A orelha média contém os três menores ossos do corpo humano, que são responsáveis em levar o som para a orelha interna. Da parte interna, o som vai para o cérebro pela cóclea, que tem formato espiral. Além disso, o equilíbrio do corpo está relacionado à orelha interna e sua disfunção pode levar à tontura. Qualquer alteração dessas três partes pode levar à diminuição da audição.

Diminuição da audição

Nem toda diminuição da audição é corrigida com lavagem de ouvido. Se houver acúmulo de cera ou algum corpo estranho no ouvido, a lavagem pode resolver o problema, retirando esses materiais da orelha externa. Não se recomenda tentar retirar cera ou outro material em casa com cotonete, pois há risco de piorar o problema e até furar a membrana do tímpano. Outras alterações de audição podem estar relacionadas a otites.

Otites

Otite é uma inflamação da orelha. Geralmente, a otite pode ser das partes externa ou média do ouvido. A otite da parte externa gera coceira e dor de ouvido intenso. A otite da parte média do ouvido tem diferentes sintomas dependendo da causa, mas de forma geral, pode dar dor de ouvido, sensação de ouvido tampado, secreção saindo do ouvido e diminuição da audição. Se houver saída de secreção, não deixe entrar água no ouvido e procure imediatamente um otorrinolaringologista.

Labirintites

Labirintite significa inflamação do labirinto. O labirinto faz parte da orelha interna do ouvido e está relacionada ao equilíbrio. Esse termo é comumente usado como sinônimo de tontura, mas nem toda tontura é uma labirintite. A tontura originada na orelha interna pode ser de vários tipos e relacionada com enjoo, sensação de ouvido tampado e zumbido. O tipo de alimento ingerido e a associação com outros tipos de doenças como pressão alta e diabetes são comuns.

O Nariz

O nariz tem a função de filtrar, umidificar e aquecer o ar que entra pelas narinas e que chegará ao pulmão. Ele é dividido em narina direita e esquerda pelo septo nasal e se comunica com a garganta pela faringe, em uma região chamada de rinofaringe. Alterações do nariz ou da rinofaringe podem levar à obstrução nasal, secreção nasal, respiração pela boca, roncos e sangramento nasal.

Rinite

É a inflamação do revestimento interno do nariz podendo levar a sintomas de nariz entupido, coceira, espirros e até sangramentos pequenos. O tratamento é feito de acordo com os sintomas e quantos estes afetam a qualidade de vida do paciente

Sinusite

É a inflamação do revestimento interno do nariz e das cavidades perto do nariz, que são os seios da face. Ela pode dar sintomas similares a rinite, mas também pode ocasionar dor no rosto. Nem toda dor de cabeça é uma sinusite, principalmente quando não há nenhum sintoma nasal como secreção do nariz

Sangramento nasal

O revestimento interno do nariz recebe vários vasos sanguíneos e eventualmente pode haver o rompimento de algum desses vasos. A grande maioria dos sangramentos são de vasos pequenos, que, com medidas simples, pode-se estancar. Em crianças, é comum estar associado ao fato de mexer no nariz por hábito ou por coceira causada pela rinite. Em adultos, há outros fatores como pressão alta e uso de medicamentos. Em geral, o sangramento ocorre durante meses frios e secos. As medidas iniciais são tampar o nariz e colocar compressas geladas sobre o nariz por alguns minutos. Se persistir o sintoma, recomenda-se procurar o otorrino.

Corpo estranho nasal

Crianças podem colocar diferentes tipos de objeto dentro do ouvido e do nariz. São pedaços de papel, brinquedos, miçanga, feijão, etc. Os sintomas nasais nesses casos são secreção com cheiro forte na narina. Muitas vezes, a própria criança afirma ter colocado. Não se deve tentar tirar em casa pelo risco de colocar o objeto mais fundo ou ocasionar sangramento.

Carne esponjosa

A “carne esponjosa” é o termo informalmente usado para designar duas estruturas do nariz e da rinofaringe. Mais comumente, refere-se à adenoide, um tecido na rinofaringe que pode aumentar e obstruir a parte posterior do nariz levando a roncos, respiração oral e até otites. Esse aumento ocorre mais na infância, mas pode abranger outras faixas etárias como adolescente e adulto jovem. Quando os sintomas atrapalham o sono e as atividades diárias da criança, a cirurgia está indicada após um tratamento clínico inicial.

Outra estrutura também conhecida como “carne esponjosa” é a concha nasal, que em casos de rinite, pode estar aumentada de tamanho. Se o paciente mantém sintomas de obstrução nasal, a cirurgia de retirada parcial dessas conchas, a turbinectomia, está indicada.

A Garganta

A garganta é a região que comunica o nariz e a boca com os tubos que irão levar ar para os pulmões e comida para o estômago. São eles, respectivamente, a laringe e a faringe. A laringe também é responsável pela voz humana, pois contém as pregas vocais. Elas vibram com a passagem do ar e produz o som. Alterações dessas regiões podem cursar com dor, engasgos, rouquidão.

Dor de garganta

A dor de garganta é resultado de alguma inflamação da amigdala e/ou da faringe. São as conhecidas amigdalites, faringites ou faringoamigdalites. Nem toda inflamação necessita de antibióticos como benzetacil ou amoxil. Eles servem para exterminar bactérias que podem causar a inflamação. A maioria das dores de garganta são de causa viral, sendo que remédios anti-inflamatórios e analgésicos seriam suficientes. Mesmo assim, recomenda-se a avaliação inicial de médico clínico geral, pediatra ou, se possível, otorrinolaringologista.

Dificuldade para deglutição

Dificuldade para engolir, engasgos com líquido, alimentos ou com a própria saliva pode ser indícios de vários tipos de doença. Podem ter causas benignas como refluxo gastroesofágico, mas podem ser indícios de doenças mais graves na garganta, principalmente em pacientes com história de etilismo e/ou tabagismo. As causas benignas podem ser tratadas com mudança de dieta, medicamento e fonoterapia. Já, as malignas podem precisar de exames mais apurados e necessitar de cirurgia

Rouquidão

A rouquidão é resultado de alguma alteração na laringe. Pode ser uma alteração própria do indivíduo que sempre foi rouco ou algo agudo como ocorre após abuso vocal em jogos de futebol. Mesmo o refluxo gastroesofágico pode dar rouquidão intermitente. Quando há história de tabagismo, é bom ter uma avaliação do especialista e claro, largar o cigarro.

Agende sua consulta com a nossa equipe de Otorrinolaringologia para cuidarmos mais de você!

whatsapp telefone facebook instagram  AE Digital - Agência digital em São Paulo menu_mobile