Os sinais que antecedem o suicídio

Neste mês de setembro, o Ministério da Saúde realiza o movimento Setembro Amarelo destinado à prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito desse grave problema de saúde pública. Não é à toa, pois o Brasil é o oitavo país com mais registros de suicídio, segundo o relatório divulgado pelas Nações Unidas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos de suicídio podem ser prevenidos. Isso quer dizer que esse problema emite sinais, que podem ser identificados por amigos e familiares. Apesar disso, o assunto ainda é considerado tabu em boa parte da sociedade. Dados oficiais mostram que 32 brasileiros se suicidam por dia.

Os sinais que antecedem o suicídio são considerados aparentemente “silenciosos”, porém os familiares e amigos mais atentos conseguem identificar através de comportamentos, mudanças físicas e, até mesmo, frases pronunciadas. Estar consciente a esses sintomas é fundamental para prevenir um possível suicídio de pessoas mais próximas que estão passando pelo problema.

Importante lembrar que o primeiro passo é, ao perceber esses sinais, procurar ajuda médica. Para tratar da depressão e pensamentos suicidas, os especialistas mais recomendados são psicólogos e psiquiatras.

Quais são os sinais antecedem o suicídio?

O suicídio grita

1 – O suicídio grita: frases de alarme

As pessoas que pensam em se matar emitem sinais verbais, mesmo que sejam inconscientes. Frases como “não aguento mais”, “eu queria sumir” e “eu quero morrer” são alertas que precisam ser levados a sério. Há um mito de que as pessoas que falam em suicídio só fazem para chamar atenção. Para psicólogos, no entanto, é um pedido de ajuda.

2- Mudança de comportamento: os sinais físicos

Embora não seja a única, a depressão é a maior causa de suicídio. Ela provoca tristeza contínua, desmotivação, falta de apetite, pensamentos negativos. Esses alertas são cruciais para o diagnóstico. O luto é um dos grandes desencadeadores da depressão.

Os sinais que antecedem o suicídio 1

3 – Felicidade incomum: um alerta perigosíssimo

Algumas pessoas severamente deprimidas fingem estar felizes para cometerem suicídio logo em seguida. O objetivo é enganar as pessoas mais próximas. Isso foi comprovado pelo psiquiatra d’Breu. Ele atendeu um paciente que simulou uma melhora para passar o final de semana em casa e, lá, se matou com uma espingarda. Por essa razão, ficar atento às mudanças bruscas de humor de uma pessoa deprimida é extremamente fundamental.

4 – Fase da idade? Não. Jovens também sofrem depressão

Há uma ideia de que a depressão afeta apenas os adultos. Os dados mostram outra realidade. Nos últimos dez anos, as taxas de suicídio entre os jovens aumentaram em 30%. Ficar atento ao comportamento dos jovens é importante para não ser confundido com “fase da vida” ou alterações hormonais.

A Clínica Cuidar Mais oferece consultas acessíveis com psicólogos e psiquiatras. Você pode agendar online, por telefone ou WhatsApp. Cuide-se agora mesmo!

whatsapp telefone facebook instagram logo_ae menu_mobile