Sintomas físicos da depressão

Considerada como ‘frescura’ por alguns, a “doença do século” aos poucos vem ganhando espaço em discussões na área médico. Estamos falando da depressão, que provoca um desiquilíbrio químico dos chamados neurotransmissores – responsáveis por transportar as informações, como sensações de prazer, serenidade, disposição e bem-estar.

Entre os sintomas, estão:  tristeza, apatia, falta de motivação, dificuldade de concentração, pessimismo, insegurança, entre outros. Porém, além das consequências psicológicas, a depressão também causa sensações físicas que podem acompanhar o quadro depressivo.

Conheça os sintomas físicos da depressão:

Problemas digestivos

De acordo com a psicanalista Priscila Gasparini Fernandes, da Universidade de São Paulo, a depressão causa uma baixa na produção dos neurotransmissores, como a serotonina e o noradrelanina. “Esses mediadores são responsáveis pela modulação da dor e também pelo equilíbrio emocional, portanto um paciente depressivo apresenta maior sensibilidade à dor”, informa.

A dor na parte gastrointestinal, segundo a especialista, é comum em pacientes depressivos. “Pacientes podem chegar ao gastroenterologista com esses sintomas e, após vários exames clínicos, são diagnosticados como de fundo emocional.”

Dor de cabeça

Por descarregar, inconsciente, todas as emoções, frustrações, medos e inseguranças, o corpo do paciente acaba reagindo com sensações físicas, como a dor de cabeça causado pela cefaleia. A recomendação é que procure um médico.

Distúrbio do sono

O paciente depressivo apresenta um cansaço excessivo. Ele dorme demais ou, às vezes, tem dificuldades para dormir. O sono, para ele, é como uma fuga dos problemas.

Tensão nos ombros ou na nuca

“A ansiedade e nervosismo para resolver as questões emocionais estão frequentemente associadas a esses sintomas”, diz a psicóloga Priscila.

Mudança no peso

Devido ao desiquilíbrio química, o apetito do paciente que enfrenta um quadro depressivo pode aumentar ou diminuir. A consequência é o ganho de peso excessivo ou a perda excessiva do mesmo. Os especialistas advertem, porém, que anorexia e bulimia são diferentes de depressão. Pacientes já diagnosticados com os transtornos alimentares desenvolve quadro de depressão, mas ainda não se sabe quais são os gatinhos da relação.

Imunidade baixa

“Ocorre uma liberação descontrolada de hormônios quando não estamos bem emocionalmente, afetando as células de defesa”, conta Priscila, que acrescenta que a falta de motivação e tristeza estão associadas.

Consulte um psicólogo popular

Clínica Cuidar Mais, em São Paulooferece, com um preço popular, uma consulta com um psicólogo. Se você apresenta esses sintomas, não deixe de procurar um médico. A clínica disponibiliza dois canais de agendamento: online ou pelo telefone (11) 5070-1090Agende online agora mesmo!

whatsapp telefone facebook instagram logo_ae menu_mobile